quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Em comentário ao texto de Luiz Zanin no Estadão de 26ago09

blog.estadao.com.br/blog/zanin/

Luiz, gostei muito da frase "Dramaticamente, mostra que a democracia e a aceitação da diferença são bens sempre precários". Nossos pais ensinam valores e cabe a nos perceber que eles são ambíguos. A próxima etapa é se aproveitar do conhecimento da ambiguidade para achar o "elo entre o enganado e o enganador" (trecho do texto de Roberto DaMatta na mesma página do Estadão de 26ago09) e praticar o amor, não a guerra.... ou pelo menos tentar.

Luiz é critico de cinema e escreve para o jornal O Estado de São Paulo.

Quem sou eu

Minha foto

Sinceridade ou talvez o silêncio em vez do vão mas não ao redor ou a falsidade. 
Perder é uma arte, não perder é impossível.

Google+ Badge